top of page

Instituto Raiar e Edube assinam acordo de cooperação para alavancar o Pacto pela Alfabetização

O Instituto Raiar e o Instituto Edube firmaram um acordo de cooperação para qualificar ainda mais o Pacto pela Alfabetização entre os municípios parceiros. Após consolidação da iniciativa em 2023, o acordo possibilitará a extensão do Programa a mais cidades brasileiras


A alfabetização é um direito constitucional de todas as crianças e adolescentes do país. No entanto, o dia a dia nas escolas brasileiras indica um cenário bem diferente. Se, antes, a situação já era desfavorável (em 2016, mais da metade das crianças chegava ao final do 3º sem as habilidades esperadas de leitura e escrita, de acordo com o Ministério da Educação - MEC), o cenário se agravou após a pandemia.


A regressão foi tão forte que a porcentagem dos estudantes de 2º ano que não conseguem sequer ler palavras isoladas dobrou, passando de 15,5% em 2019 para 33,8%, em 2021, conforme indicam os resultados do Índice Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgados em 2022.


Com o intuito de alavancar a sua atuação na causa da alfabetização, o Instituto Raiar firmou um acordo de cooperação com o Instituto Edube, organização que promove o uso de evidências científicas para a melhoria da qualidade da educação no Brasil. “Oferecer soluções educacionais concretas, baseadas em evidências, flexíveis e gratuitas é um dos nossos compromissos do acordo com o Raiar”, explica Renan Sargiani, fundador do Edube e doutor em psicologia escolar.


A parceria se dá no âmbito do Pacto pela Alfabetização – política pública colaborativa de alfabetização para as séries iniciais. Criado em 2017, o Pacto já beneficiou cerca de 100 mil crianças em oito municípios brasileiros.


A ideia é que, juntas, as duas instituições potencializem os esforços que vêm sendo implementados nos municípios que aderiram ao Pacto. A parceria também permitirá a aplicação de pesquisas, estudos e evidências científicas nos processos de alfabetização de crianças no ensino público.


Uma nova perspectiva para 2023


O acordo reforça diretrizes essenciais para o Instituto Raiar e para a implementação do Programa nos municípios participantes: estruturação do ensino e da gestão pedagógica, acompanhamento do desenvolvimento da cada criança a partir de indicadores de resultados e mobilização da comunidade para a causa da alfabetização.

A atuação do Pacto em 2023 terá foco sobre as etapas de pré-escola, 1º e 2º anos. O desenvolvimento e a oferta de recursos pedagógicos para a estruturação do ensino, que agora contam com a parceria do Edube, estão atrelados à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e ao Plano Nacional de Alfabetização (PNA). Todo o material desenvolvido terá direito de uso público e poderá ser utilizado pelos municípios mesmo após a finalização do acordo de cooperação com o Pacto.


“Esse modelo permitirá que os municípios sustentem a implantação desta política pública após os três anos de parceria com o Instituto Raiar e, principalmente, permitirá a escalabilidade do Programa – fator importante, já que vivemos em um país em que a maioria das crianças não sabe ler ao final do 2º ano”, afirma Jaqueline Machado, diretora-executiva do Instituto Raiar.


Em 2023, 31 mil crianças serão beneficiadas com esta política pública colaborativa. Nos próximos anos, a meta é estender os benefícios comprovados do Pacto a mais e mais crianças.


Atuação dos Institutos


O Instituto Raiar é a organização estruturante do Pacto pela Alfabetização e atuará na gestão geral da implantação, dos processos e indicadores. Já o Instituto Edube atuará na oferta de recursos pedagógicos já desenvolvidos, como os programas Vamos todos aprender a Ler e Fortalecimento da Alfabetização, desenvolvidos em parceria com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). Além disso, o Edube está desenvolvendo para o Pacto um programa chamado Bases, que promoverá o ensino de linguagem, matemática e ciências.


“Iremos fornecer o apoio técnico-científico ao Pacto para que suas ações tenham embasamento e sejam orientados pelas melhores evidências disponíveis.", finaliza Sargiani.



64 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page