Como os alunos de Viamão tiveram crescimento maior do que a média do país inteiro na Prova Brasil

Investimento na qualificação da equipe docente e estruturação do ensino foram fundamentais para o desempenho da rede municipal, que obteve o maior crescimento dos últimos 15 anos


Alunos da Emef Coracy Prates da Veiga exibem planilha de frequência mensal, que era de quase 100% antes da pandemia do coronavírus


A rede municipal de Viamão, no Rio Grande do Sul, está conquistando excelência em educação – é o que indicam os resultados da Prova Brasil, principal avaliação da qualidade do ensino brasileiro entre alunos de 5º e 9º anos do país. Em 2019, o município elevou o desempenho das escolas em 16 pontos para português e 23 pontos para matemática nos anos iniciais. Trata-se de um crescimento histórico na região; e o maior dos últimos 15 anos no município. E tem mais.


Viamão mais do que dobrou o número de escolas proficientes (ou seja, instituições cujos alunos têm as habilidades esperadas) em português e matemática, passando de 32,9%, em 2017; para 78,6% em 2019. No mesmo período, o número de escolas em nível insuficiente foi completamente zerado.



A receita do crescimento

Em 2018, o município estabeleceu o Pacto Viamão pela Educação – uma política pública implantada em parceria com o Instituto Raiar e o Instituto Alfa e Beto (IAB) para a qualificação da educação básica. Naquele mesmo ano, após um programa intensivo realizado de agosto a dezembro, o índice de alfabetização passou de 37% para 64% entre as crianças do 1º ano. Em 2019, chegou a 73%. Em breve, a rede municipal prevê alcançar a totalidade de crianças com as habilidades esperadas para leitura e escrita.


O Pacto Viamão pela Educação funciona porque é feito em rede – gestores, educadores e familiares integram uma comunidade educadora que é convidada a participar ativamente do processo – e porque investe em metodologias comprovadamente eficazes para a aprendizagem.


Todas as crianças do Pré ao 5º ano são ensinadas por meio do sistema de ensino estruturado desenvolvido pelo IAB, que é o mesmo utilizado em Sobral-CE e Teresina-PI, duas das cidades que possuem as melhores notas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Brasil.


“O ensino estruturado promoveu uma grande parceria da comunidade escolar para que todos tivessem consciência da importância da sua função e colaborassem com as rotinas”, conta Simone Geraldo de Souza, diretora aposentada da Emef Coracy Prates Da Veiga e da Emef Jardim Viamar, que atuou por 32 anos na rede municipal de Viamão.


Como solução pedagógica baseada em evidências, o ensino estruturado oferece mais do que o trabalho em rede e a qualificação de gestores e docentes. O método utiliza um planejamento de ensino que garante acesso dos alunos aos conteúdos na ordem adequada.

Além disso, gerencia todos os indicadores de desempenho e frequência para agir sempre que forem identificadas fragilidades. “Passamos a ter parâmetros visíveis através dos indicadores. Esses registros nos permitiram realizar uma análise dos resultados e os pontos que deveriam ser remodelados para cada aluno, turma e escola”, explica Simone. Não à toa, o município conquistou uma média de frequência superior a 85% – e continua trabalhando para que todos os alunos estejam na escola em 95% dos dias letivos.


“Com o ensino estruturado, os alunos mudaram completamente seus hábitos de estudo, passando a gostar de estar na sala, buscar sempre aprender mais. Podia estar um temporal, mas havia 100% de frequência, porque eles gostam de estar ali”, conta Gislene Gomes, professora com 30 anos de experiência e atual diretora da Emef Coracy Prates da Veiga.


Escola que é referência


Outra comprovação da qualidade do ensino estruturado implantado em Viamão chegou em setembro, com a divulgação das notas consolidadas do Ideb, reiterando o crescimento acima do esperado.


Viamão passou direto da nota 5 para a nota 6, enquanto a maioria das cidades gaúchas cresceu ou caiu apenas um ou dois pontos decimais (a rede municipal da capital do Estado, Porto Alegre, passou de 4,9 para 5,1, por exemplo). A escola da Simone e da Gislene, a Coracy Prates da Veiga, teve motivo extra para celebrar: além de 100% dos alunos alfabetizados ao final do 1º ano, obteve nota 7 no Ideb – o melhor resultado de Viamão para este indicador.

O trabalho de uma equipe comprometida, que atuou de forma dedicada a desenvolver as práticas do ensino estruturado, somado ao empenho dos alunos para aprender foram, segundo as profissionais, os motivos que impulsionaram o desempenho da escola.

“As famílias e os alunos entenderam o programa e acreditaram que poderia dar certo. Assim, trabalhamos juntos e conseguimos o melhor resultado”, diz a diretora Gislene. “Posso dizer com toda a certeza que os alunos conseguem aprender com o ensino estruturado, um método que possibilita o desenvolvimento das principais competências e habilidades básicas desde a educação infantil.”

Muito além dos números


Além de transformar números, Viamão também está contribuindo com a mudança de rumo em muitas histórias de vida, como mostra Simone neste depoimento:

“Algo que nos marcou muito foi um menino que conhecíamos desde que nasceu, pois a família já tinha outros irmãos na escola. Quando ele cursava o 4º ano estava com muitas dificuldades e seria reprovado. A Secretaria Municipal de Educação informou que, no ano seguinte, os alunos de 5º ano fariam um programa de revisão do ensino estruturado, uma oportunidade para rever conteúdos e recuperar lacunas de aprendizagem e habilidades desde o 2º, 3º e 4º anos. Conversamos em nosso Conselho de Classe final e decidimos dar a oportunidade a ele. No período de férias escolares, o pai que respondia pelo aluno faleceu, a mãe aparentava ter problemas neurológicos e incapacidade, fatos que agravaram mais a situação do menino.

Sempre acreditei que o vínculo nos fortalece e procuramos na escola ter um diálogo amigo para abraçar aquele menino e dizer que acreditávamos nele. Assim, com o programa de revisão ele passou a acompanhar a aprendizagem e a dedicar-se. Numa das visitas da nossa Assessoria Pedagógica da SME à sala de aula do 5º ano que ele frequentava foi perguntado sobre quais profissões os alunos desejariam para o futuro. Foi com muita emoção que ele olhou nos meus olhos e disse: ‘Eu quero ser diretor de escola!’ Ali toda a minha carreira passou diante dos meus olhos e agradeci a oportunidade de fazer a diferença na vida dele.”

Os avanços e os exemplos da Emef Coracy refletem o esforço de toda a rede do município, que realiza um trabalho sistemático de planejamento e incentivo para ofertar educação pública de qualidade a todas as crianças.


A efetivação do ensino estruturado como política pública desponta como um fator decisivo para que cada criança siga avançando – e possa, de fato, ser o que quiser no futuro próximo. “Estamos formando pessoas para a vida. Os excelentes resultados conquistados comprovam que precisamos continuar investindo na educação e no ensino estruturado”, afirma Simone.

Com o fortalecimento das estratégias adotadas em Viamão, a tendência é que o município alcance resultados cada vez mais consistentes, tornando-se referência educacional para cidades de todo o Brasil. Enquanto isso, devemos parabenizar pais, professores, gestores, diretores, irmãos e avós de cada criança da comunidade de Viamão, que tem tido melhores resultados a cada ano porque acredita no potencial transformador da educação.


Embora 2020 esteja sendo um ano desafiador ao ensino por conta do afastamento das crianças de suas escolas em função da pandemia, as práticas estabelecidas no município de Viamão, se continuadas no pós-pandemia, podem garantir que as crianças continuem avançando. Isso porque, com o ensino estruturado, a rede não só adquiriu experiência, mas conquistou todas as condições técnicas e pedagógicas para retornar a uma robusta trajetória de desempenho.

279 visualizações

Posts recentes

Ver tudo