Como a rede municipal de Sapucaia-RS está mensurando aprendizagem durante a pandemia

Com modelo de gestão pautado por indicadores, rede municipal gaúcha está acompanhando o desenvolvimento das crianças mesmo com a necessidade do isolamento social, que impõe atividades escolares a distância




No início de 2020, os gestores da rede municipal de Educação de Sapucaia do Sul sentiam-se animados com o ano escolar que estava prestes a iniciar. A rede celebrava a implantação do sistema de ensino estruturado e o início do Pacto Pela Alfabetização, que tem como meta o domínio das habilidades de leitura e escrita de todas as crianças até o final do 1º ano, quando a pandemia provocada pelo coronavírus chegou fechando escolas mundo afora.


É verdade que o isolamento impôs desafios à prática pedagógica, à rotina dos pais e cuidadores e, em última instância, ao aprendizado das crianças. A adoção do ensino estruturado no município de Sapucaia, porém, permitiu que a rede continue trabalhando pelo objetivo da aprendizagem e consiga gerir resultados por indicadores, mesmo a distância.


“As métricas adotadas têm significativa importância no trabalho realizado de maneira virtual porque, desta forma, podemos qualificar o processo de ensino aprendizagem”, explica Aneria Maria Soares Colombo, orientadora educacional e assessora do sistema de ensino estruturado (SEE) e Socioemocional no município.


Tão logo os primeiros casos surgiram no Rio Grande do Sul, em meados de março, as aulas foram suspensas no município. A rede então criou grupos de Whatsapp para preservar o vínculo das famílias com a escola e se organizou para iniciar o isolamento sem deixar de lado as estratégias de gestão por indicadores, que possibilitam uma avaliação consistente de cada aluno, cada turma e cada escola.


Quando veio a confirmação de que a escola permaneceria fechada por mais algum tempo, o município passou a ofertar atividades para serem realizadas em casa, fornecendo materiais pedagógicos para as crianças. Fora incluído, ainda, um programa de aprendizagem socioemocional para estímulo das habilidades que vão além do raciocínio cognitivo. Não por acaso, as atividades do programa Asas contemplaram benefícios para a saúde mental de crianças, pais e educadores de Sapucaia.


Desde o início das atividades, a gestão monitora os resultados da gestão juntamente aos diretores e professores de cada escola a partir de indicadores como:

  • Acesso dos educadores às famílias por grupos de Whatsapp;

  • Cumprimento do cronograma de atividades;

  • Recebimento e devolutiva das atividades por parte dos alunos;

  • Aprendizagem dos fonemas dos alunos de 1º ano.

Esses e outros indicadores geram relatórios que, mensalmente, são discutidos pela rede. Uma vez por mês, gestores e educadores participam de ciclos de avaliação a fim de encontrar estratégias para melhorar os resultados.


No início do isolamento, por exemplo, os professores estavam conseguindo acessar 71% das famílias via Whatsapp. Atualmente, a rede mantém contato com mais de 90% dos familiares – e segue trabalhando para alcançar 100%.


“Constatamos na prática a possibilidade de continuar acompanhando o desenvolvimento do aluno, mesmo que a distância, quando todos se propõem a reaprender e se readaptar diante de situações adversas”, diz Aneria.


A gestão baseada em indicadores da rede municipal de Sapucaia está buscando mensurar a aprendizagem de cada criança de forma consistente. Apesar das dificuldades provocadas pelo cenário da pandemia, a utilização dos indicadores evita que a rede atue de forma desorganizada – pelo contrário.


Os educadores têm conseguindo trabalhar de forma estratégica, melhor conduzindo o processo educativo apesar das fragilidades provocadas pelo afastamento da escola. Lado positivo: Sapucaia está construindo um legado de experiência resiliente que será extremamente útil para a reconstrução da trajetória de suas crianças no pós-pandemia.

156 visualizações

Posts recentes

Ver tudo